12 de fevereiro de 2017

[ Resenha #60] Caixa de Pássaros


Titulo: Caixa de Pássaros
Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca 
Páginas:272
Sinopse: Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler. Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão. 



Oi, oi gente!
Aqui é a Tassi do Epifania nos Livros e estou aqui hoje para falar um pouco sobre o livro Caixa de Pássaros. Vamos lá?
A história inicia-se no futuro, sendo narrada por nossa personagem principal, Malorie, onde ela nos mostra um pouco sobre o medo e o terror de crias e viver de olhos abertos nos atuais dias juntamente com os seus filhos.
Esse terror iniciou-se após uma notícia normal em um programa de notícias de TV, onde um habitante de determinada cidade assassina outro após ver “algo” e em seguida se suicida. A princípio o caso não levanta tanta polemica. A polemica em si surge, quando mais casos começam a aparecer colocando a população das cidades ao redor em estado de pânico já que as pessoas começam a enlouquecer depois de ter uma visão e atacar umas as outras e até se suicidar e se automutilar. Aos poucos, todos os habitantes e, inclusive Malorie, começam a cobrir janelas e portas com cobertores além de só sair para a rua vendada. Teorias são criadas e a loucura se espalha, deixando todos a mercê de sua própria casa.


Agora todos vivem em uma sociedade criada pelo principal pilar que é o medo. Todos à beira da loucura, se matando e com os corpos ficando empilhados em casas, ruas e becos. 

Ninguém mais está a salvo de sua própria
mente e sabendo disso, após um acontecimento, uma Malorie grávida resolve sair de sua casa, onde vive com a irmã, e ir até um abrigo noticiado pelo jornal local e onde acredita estar mais segura. Ela se venda e se arrisca dirigir até o local que é relativamente perto de sua casa, confiando apenas na sua memória. Ao chegar lá, somos novamente apresentados ao medo que o mundo vive hoje em dia, pois Malorie é revistada e se obriga a responder várias perguntas antes de ter permissão de entrar, tudo para comprovar que ela não é um “deles” – seja lá o que “eles” sejam.


E assim inicia-se uma narrativa alternando entre o passado e o futuro. No futuro, Malorie nos conta como criou seus filhos e como está tentando desesperadamente salva-los. No passado, ela conta sua trajetória com os integrantes daquela casa em que foi viver, até chegar aos dias de hoje.
Acredito que qualquer outra coisa que eu falar além do que citei ali em cima, teremos um spoiler tiro atrás do outro. Particularmente não é minha leitura favorita e nem habitual. 
Não curto suspense ou thriller psicológico, mas, esse não ganhou só meu coração, ele o arrancou e levou embora. Estou desesperada por novos livros desse gênero do mesmo autor, Josh Malerman me ganhou toda <3

A história chama atenção por inicialmente, nos deixar curioso pra saber o que exatamente está ocorrendo já que Josh criou um mundo onde o medo do desconhecido é o que impera. Nem nós e nem os personagens sabem o que está acontecendo. Nós também estamos vendados para tudo e só é trabalhado com os sentimentos que nos é dado. Em todo o tempo, eu me senti tentada a virar novamente a página e ter mais daquela deliciosa sensação de que não sei absolutamente nada do que está ocorrendo e preciso desesperadamente descobrir.

Já a edição, Intrínseca samba sempre então, ela está impecável. Temos uma capa com orelhas e textura macia. As cores do título, das frases e até da recomendação do mestre Hugh Howey combinam perfeitamente com a tensão que o livro passa e todo o seu mistério. Ela é fosca e, é meu tipo favorito de capa. Todos os inicios de capítulo são ilustrados com galhos secos de árvores e eu adorei o ar de “frio” e “desolado” que isso dá – e literalmente combina com toda a história do livro -.
Talvez alguns se espantem em como Malorie criou suas crianças, que já mostrado logo no inicio, mas acho que quando é você e sua sobrevivência, até as piores coisas e as mais cruéis tornam-se necessárias para o mundo.
Para mim, Josh trabalhou muito bem com os personagens que mostrou. Aprofundou quem precisava e pincelou que precisava. Achei o crescimento e o desenvolvimento de Malorie gradual e em ótimo tempo. E a gente só percebe isso quando vira a última página do livro e toma aqueles cinco segundos para pensar um pouco mais sobre o que acabou de ler.

Esse não é um livro fantástico que retrata o "fim do mundo" com apocalipses zumbis, cataclismos na Terra e extraterrestres. Estamos falando de algo que não se sabe o que é e que não se pode ver. Estamos lidando com a escuridão. Com a obrigação de mudar tudo que sabemos e aprender a explorar outros sentidos que temos e pouco usamos. O psicológico é abalado e a única coisa que se conhece é o próprio medo. Josh tornou esse fim do mundo extraordinário, com algo palpável e mais perto da nossa realidade.



Foi uma leitura Cinco Estrelas do meu 2016. Uma das melhores recomendações que já tive e uma das melhores que irei fazer a qualquer leitor que queira fugir um pouco da sua zona de conforto e enfrentar algo novo e inédito.









4 comentários:

  1. eu comprei esse livro ontem!! só vejo resenhas maravilhosas sobre ele.
    amei sua resenha!! amo esse blog,sempre recheado de coisas lindas!!
    bjs
    http://escreverdayse.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Day ♥
      Espero que faça ótima leitura, depois nos conta o que você achou. Muito obrigada pelo carinho com o blog♥
      Seu blog é um amor ♥

      Excluir
    2. Oii Day ♥
      Que ótimo que tenha gostado da resenha! Você irá adorar a leitura do livro.

      Excluir
  2. Oiee,
    Você tem uma escrita madura e convidativa. Este é um livro que quero lê a um longo tempo, até mesmo porque eu gosto muito de triller, terror, suspense. Gostei do modo como vc delineou a diagramação, citou a alternação entre passado e presente. Pretendo ler essa obra em breve.

    ResponderExcluir